O excesso

de resíduos plásticos, regulações, políticas e iniciativas europeias, e a possibilidade

de utilização de recursos marinhos para a produção de bioplásticos.

Um interessante artigo escrito por Manuel Gil Antunes, Membro do Conselho da Administração da A4F, publicado na primeira...

algas microalgas micro algas

biomassa biomassa

de algas A4F sobre tendências nos Bioplásticos

O excesso de resíduos plásticos, regulações, políticas e iniciativas europeias, e
a possibilidade
de utilização de recursos marinhos para a produção de bioplásticos. Um

interessante artigo escrito por Manuel Gil Antunes, Membro do Conselho da Administração da A4F, publicado na primeira... algas microalgas micro algas biomassa biomassa de

algas A4F sobre tendências nos Bioplásticos

O excesso
de resíduos plásticos, regulações, políticas e iniciativas europeias, e a
possibilidade de

utilização de recursos marinhos para a produção de

bioplásticos.
Um interessante artigo escrito por Manuel Gil Antunes, Membro do Conselho da
Administração da A4F, publicado na primeira... algas microalgas

micro algas biomassa biomassa de algas A4F sobre tendências nos Bioplásticos

O excesso de resíduos

plásticos, regulações, políticas e iniciativas europeias, e a possibilidade de utilização de recursos marinhos para a produção de

bioplásticos. Um interessante

artigo escrito por Manuel Gil Antunes, Membro do Conselho da Administração da A4F, publicado na primeira... algas microalgas micro algas biomassa biomassa de algas A4F sobre tendências nos Bioplásticos

O

excesso de resíduos plásticos, regulações, políticas e iniciativas europeias, e a possibilidade de utilização de recursos marinhos para a

produção
de bioplásticos. Um interessante artigo
escrito por Manuel Gil Antunes, Membro
do Conselho
da Administração da A4F, publicado
na primeira... algas microalgas micro algas biomassa
biomassa de algas
A4F sobre tendências nos Bioplásticos
O excesso de resíduos plásticos, regulações, políticas e iniciativas europeias,

e a possibilidade de utilização de recursos marinhos

para a produção de bioplásticos. Um interessante artigo escrito por Manuel Gil Antunes, Membro

do Conselho da Administração da A4F, publicado

na primeira... algas microalgas micro algas

biomassa biomassa de algas A4F sobre tendências nos Bioplásticos

O

excesso de resíduos plásticos, regulações, políticas e iniciativas europeias, e a possibilidade de utilização de recursos marinhos para a produção de bioplásticos. Um interessante artigo escrito por Manuel Gil Antunes, Membro do Conselho da Administração da A4F, publicado na

primeira... algas microalgas micro algas biomassa biomassa
de algas A4F sobre tendências nos

Bioplásticos

O excesso de resíduos plásticos, regulações, políticas e iniciativas europeias, e a possibilidade de utilização de recursos marinhos

para

a produção de bioplásticos. Um interessante artigo escrito por Manuel Gil Antunes, Membro do Conselho da Administração

da A4F, publicado na primeira... algas microalgas micro algas biomassa biomassa de

algas A4F

sobre tendências nos Bioplásticos

O excesso de resíduos plásticos, regulações,

políticas e iniciativas europeias, e a possibilidade de utilização

de recursos marinhos para a produção de bioplásticos. Um interessante artigo escrito por Manuel Gil Antunes, Membro do Conselho da

Administração da A4F, publicado na primeira... algas microalgas micro algas
biomassa biomassa de
algas

A4F sobre tendências nos Bioplásticos

O excesso de

resíduos plásticos, regulações, políticas e iniciativas europeias, e a possibilidade de utilização de recursos marinhos para

a produção de bioplásticos. Um interessante artigo escrito por Manuel Gil Antunes, Membro do Conselho
da Administração da
A4F, publicado na primeira... algas microalgas micro algas biomassa biomassa de algas A4F sobre tendências nos Bioplásticos

A4F sobre tendências nos Bioplásticos

O excesso de resíduos plásticos, regulações, políticas e iniciativas europeias, e a possibilidade de utilização de recursos marinhos para a produção de bioplásticos. Um interessante artigo escrito por Manuel Gil Antunes, Membro do Conselho da Administração da A4F, publicado na primeira edição da revista Blue Innovation Review.

O excesso de resíduos plásticos nos Oceanos tornou-se um dos grandes temas dos media nos últimos tempos. Não por acaso, recentes imagens de uma onda de resíduos plásticos no Haiti abriram os noticiários em todo o Mundo.

Na última década as Instituições Europeias têm promovido estudos e discussões sobre o futuro da utilização dos plásticos na Europa. Tais discussões têm-se concentrado, sobretudo, na regulação da utilização dos plásticos em embalagens e em tentativas de limitação da produção de plásticos não biodegradáveis.

No que diz respeito às limitações à produção, a discussão política no seio da União Europeia tem evidenciado uma certa divisão entre aqueles que entendem que os esforços devem concentrar-se essencialmente nas políticas de reciclagem do plástico já existente e os que entendem que deve promover-se, igualmente, o recurso a fontes biológicas para a produção de novos plásticos e à produção de plásticos biodegradáveis.

Portugal tem sido pioneiro nas políticas de taxação dos plásticos não biológicos e não biodegradáveis – seguindo de perto as iniciativas da França. Mas pode ser ainda mais ativo na defesa de políticas que, encarando de frente os desafios, mas também as oportunidades, que a evolução da ciência e da tecnologia nos colocam, permitam a Portugal assumir um papel de liderança na utilização produtiva dos recursos que, neste sector, tem à sua disposição.

Se no que diz respeito às emissões e descargas de resíduos plásticos nos Oceanos, Portugal tem, a priori, um papel limitado (é um produtor limitado e um pequeno utilizador de plásticos), pode e deve ter um papel liderante nas iniciativas relacionadas com a recolha desses resíduos e a sua reciclagem para novas utilizações.

Políticas ativas nessa área, poderão contribuir para a valorização dos rendimentos dos pescadores, uma melhor utilização das zonas portuárias e uma interligação entre as indústrias do mar e as indústrias tradicionais.

Mas, o verdadeiro desígnio e potencial que está por explorar é a utilização dos recursos marinhos para a produção de bioplásticos: novos materiais, de origem vegetal (algas e microalgas), são uma fonte potencial e muito valorizada de amido, que, por processos de bio-refinação semelhantes aos já utilizados para a refinação de outras biomassas vegetais (como a cana de açúcar), podem transformar-se em matéria-prima para a produção de plásticos de grande qualidade, biodegradáveis e de origem biológica.

Os importantes esforços, sobretudo do Brasil, para a produção de embalagens plásticas de fonte biológica (a maior empresa química brasileira construiu uma mega fábrica para a produção de embalagens de bioplásticos a partir da refinação da cana de açúcar – sob a marca I´m Green™), esbarram na necessidade de disponibilização de enormes quantidades de terra arável e água doce para a produção da matéria-prima básica (cana de açúcar).

Pelo contrário, a produção de bioplásticos a partir de algas e microalgas não requer terra arável, nem água doce. A tecnologia para a sua produção em larga escala está já disponível e no seu desenvolvimento têm tido papel preponderante empresas portuguesas de base tecnológica, inseridas em consórcios de investigação suportados em fundos diretamente atribuídos pela Comissão Europeia.

A produção de bioplásticos a partir de fontes marinhas poderá vir a ser uma oportunidade de impacto estratégico para Portugal, ligando a economia do mar às indústrias tradicionais.

Quem sabe, dentro de poucos anos, uma nova marca de embalagens de bioplástico marinho poderá surgir em Portugal, como um produto da nova economia azul…?

Aceda ao artigo, em inglês e francês, nas páginas 24-25: https://www.wobook.com/WBLa2mq69998/DIGITAL-CMD/BLUE-INNOVATION-01.html

Sobre nós Quem Somos
fazemos

História Empresa Recursos Algoteca Produção

industrial nossa
abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços
consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projetos Notícias Contactos ©2018 Algae future Rights Reserved Powered BYDAS Sobre Nós Quem Somos

fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem

Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projectos Notícias Contactos sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos
marinhos para produção

bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado

primeira
edição revista Blue Innovation
Review excesso resíduos plásticos Oceanos tornou
grandes temas media últimos tempos Não

acaso recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre

futuro utilização plásticos Europa Tais

discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens tentativas limitação produção plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico

existente entendem deve

promover igualmente recurso fontes

biológicas

para produção novos plásticos

produção plásticos biodegradáveis Portugal

sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos
não biodegradáveis

seguindo perto iniciativas França pode ainda

mais ativo
defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades
evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões

descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode

deve papel liderante
iniciativas relacionadas recolha

desses resíduos reciclagem para novas

utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas

portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar

utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais

origem vegetal algas

microalgas são fonte potencial

muito

valorizada amido processos refinação semelhantes utilizados

para refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar podem transformar
matéria prima para produção plásticos grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira construiu mega

fábrica para produção embalagens bioplásticos partir

refinação cana

açúcar marca I´m

Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável água doce

para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável

água doce tecnologia para produção larga

escala está disponível desenvolvimento têm tido papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios

investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão Europeia

produção bioplásticos partir
fontes
marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal

ligando economia indústrias tradicionais Quem sabe dentro

poucos anos
nova marca embalagens

bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html Algae future Todos Direitos Reservados Início Sobre

nós Serviços Contactos Política
Privacidade Condições excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante
artigo escrito Manuel
Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira algas microalgas micro algas biomassa biomassa algas sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira edição revista Blue
Innovation Review

excesso resíduos plásticos Oceanos tornou grandes temas media

últimos

tempos Não acaso recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos

discussões sobre futuro utilização plásticos Europa Tais discussões têm concentrado sobretudo
regulação utilização plásticos embalagens tentativas limitação produção plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção discussão

política seio União Europeia evidenciado

certa divisão entre

aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente
políticas reciclagem plástico existente
entendem

deve promover

igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não

biodegradáveis seguindo perto iniciativas França

pode ainda mais
ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades
evolução ciência
tecnologia colocam permitam Portugal
assumir papel liderança utilização
produtiva recursos
neste sector disposição respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha desses resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos
pescadores melhor utilização
zonas portuárias
interligação entre
indústrias indústrias
tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para
produção bioplásticos: novos materiais
origem vegetal

algas microalgas são

fonte

potencial muito valorizada amido processos

refinação semelhantes utilizados para
refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar podem transformar matéria prima para produção plásticos grande qualidade biodegradáveis
origem biológica importantes esforços
sobretudo Brasil para
produção embalagens

plásticas fonte biológica maior

empresa química

brasileira construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos partir

refinação

cana açúcar marca I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável água doce para produção matéria

prima

básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas

microalgas

não requer terra arável água doce tecnologia para produção larga escala está disponível desenvolvimento

têm tido papel preponderante empresas portuguesas base
tecnológica inseridas consórcios investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão
Europeia produção bioplásticos

partir fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para

Portugal

ligando economia indústrias tradicionais Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal

como produto nova economia azul…? Aceda artigo
inglês francês páginas

https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html

Sobre nós
Quem Somos fazemos História
Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços

consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projetos

Notícias

Contactos ©2018 Algae future Rights Reserved Powered

BYDAS Sobre Nós Quem Somos fazemos História Empresa

Recursos Algoteca Produção industrial

nossa abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação

Projetos Projetos

Projectos Notícias Contactos sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção

bioplásticos interessante
artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração
publicado primeira edição
revista Blue Innovation
Review excesso

resíduos plásticos Oceanos tornou grandes temas

media últimos

tempos Não acaso

recentes imagens
onda resíduos plásticos
Haiti
abriram noticiários todo Mundo
última década
Instituições Europeias têm promovido

estudos discussões sobre futuro utilização plásticos Europa Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens tentativas limitação produção plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem

esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem deve

promover igualmente recurso fontes biológicas para produção novos

plásticos produção plásticos

biodegradáveis Portugal
sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis
seguindo perto iniciativas França pode ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização produtiva
recursos neste sector
disposição

respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha desses resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores

melhor utilização
zonas portuárias
interligação entre indústrias indústrias

tradicionais verdadeiro

desígnio potencial está explorar utilização

recursos marinhos para produção bioplásticos:

novos materiais origem

vegetal algas

microalgas são fonte potencial muito valorizada

amido processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar

podem transformar matéria prima

para produção plásticos grande qualidade biodegradáveis

origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas fonte

biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos
partir refinação

cana açúcar marca I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra

arável água

doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas

microalgas
não requer terra arável água doce tecnologia
para produção

larga escala está disponível desenvolvimento têm tido papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica

inseridas
consórcios investigação
suportados fundos diretamente atribuídos

pela Comissão Europeia produção bioplásticos partir fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal ligando economia indústrias tradicionais Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL

CMD/BLUE INNOVATION html Algae future Todos

Direitos Reservados Início Sobre nós Serviços Contactos Política Privacidade Condições excesso resíduos plásticos regulações

políticas iniciativas europeias possibilidade

utilização recursos
marinhos para

produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho

Administração publicado primeira algas microalgas micro algas biomassa

biomassa algas

sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado

primeira

edição revista Blue Innovation Review

excesso

resíduos plásticos Oceanos tornou grandes temas media

últimos tempos Não acaso recentes imagens

onda resíduos plásticos

Haiti abriram noticiários

todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre futuro utilização plásticos Europa Tais

discussões têm

concentrado sobretudo

regulação
utilização plásticos embalagens
tentativas
limitação produção plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia

evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem deve promover igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto iniciativas

França pode ainda

mais ativo defesa

políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização
produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões descargas
resíduos plásticos

Oceanos Portugal priori papel

limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha desses resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias

tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas microalgas são fonte

potencial muito valorizada

amido

processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas vegetais como

cana

açúcar podem transformar matéria

prima
para produção plásticos grande qualidade
biodegradáveis

origem biológica importantes esforços sobretudo

Brasil para produção
embalagens plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos partir refinação
cana

açúcar marca I´m Green™

esbarram
necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável água doce para produção matéria
prima
básica cana açúcar

Pelo contrário

produção

bioplásticos partir algas microalgas não requer

terra
arável água
doce tecnologia
para produção larga escala está disponível desenvolvimento têm tido papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas
consórcios
investigação suportados fundos diretamente

atribuídos pela Comissão Europeia produção bioplásticos partir fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal ligando economia indústrias tradicionais Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho

poderá surgir Portugal como produto nova economia azul…? Aceda

artigo
inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html
Sobre nós Quem

Somos fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos

Formação Projetos Projetos Projetos Notícias Contactos ©2018 Algae future Rights

Reserved

Powered BYDAS Sobre Nós Quem Somos fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem

Plataformas Tecnológicas Experiência
Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação
Projetos Projetos
Projectos Notícias

Contactos sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos

regulações
políticas iniciativas europeias possibilidade utilização
recursos marinhos para

produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira edição revista Blue Innovation

Review excesso resíduos

plásticos
Oceanos tornou grandes temas
media últimos tempos
Não
acaso recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre futuro utilização plásticos Europa Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens tentativas limitação produção plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção
discussão política seio

União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas

reciclagem plástico existente

entendem deve promover igualmente recurso fontes biológicas

para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido

pioneiro políticas taxação plásticos não
biológicos

não biodegradáveis seguindo perto iniciativas França pode ainda mais

ativo defesa

políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização produtiva

recursos neste sector disposição respeito emissões descargas resíduos
plásticos

Oceanos Portugal priori

papel limitado produtor limitado
pequeno utilizador plásticos

pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha

desses resíduos reciclagem

para novas
utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias

tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar

utilização
recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas microalgas são fonte potencial muito valorizada amido processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar podem transformar matéria prima para produção plásticos grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo

Brasil para produção embalagens

plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira construiu

mega fábrica para
produção embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar marca I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra
arável

água doce para produção

matéria prima

básica cana açúcar Pelo

contrário

produção bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água doce tecnologia para produção larga escala está disponível desenvolvimento têm

tido papel

preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios

investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela

Comissão Europeia produção bioplásticos partir fontes marinhas poderá oportunidade

impacto

estratégico para Portugal ligando

economia indústrias
tradicionais Quem sabe dentro poucos

anos nova

marca

embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova

economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas

https://www

wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html Algae future Todos Direitos Reservados Início Sobre nós Serviços Contactos Política Privacidade Condições

excesso
resíduos plásticos regulações
políticas iniciativas europeias
possibilidade utilização recursos marinhos para

produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira algas microalgas micro algas biomassa biomassa algas sobre tendências Bioplásticos

excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira edição revista Blue Innovation

Review excesso resíduos
plásticos Oceanos tornou grandes temas media últimos
tempos
Não acaso recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários

todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre futuro utilização plásticos Europa Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização

plásticos embalagens tentativas limitação
produção
plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção
discussão política seio União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem
deve

promover igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto

iniciativas França

pode ainda mais
ativo defesa políticas
encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia
colocam permitam
Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito
emissões descargas resíduos

plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha desses resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área

poderão contribuir para valorização
rendimentos pescadores melhor utilização

zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para

produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas microalgas são fonte potencial muito valorizada amido processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas vegetais como cana
açúcar podem
transformar matéria prima para produção plásticos grande qualidade biodegradáveis origem
biológica importantes esforços sobretudo Brasil para
produção embalagens plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar marca I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes
quantidades
terra arável água doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo
contrário produção bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água doce tecnologia para produção larga escala está disponível

desenvolvimento têm tido papel

preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios

investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão Europeia produção bioplásticos
partir fontes
marinhas poderá oportunidade impacto estratégico
para Portugal ligando

economia indústrias tradicionais Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html

Sobre nós Quem Somos fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção

industrial nossa
abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção
Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos
Projetos Notícias

Contactos ©2018 Algae

future
Rights Reserved Powered BYDAS Sobre Nós Quem Somos fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa
abordagem

Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projectos Notícias Contactos

sobre tendências Bioplásticos
excesso resíduos

plásticos regulações

políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira edição
revista Blue Innovation Review
excesso resíduos plásticos Oceanos tornou grandes temas
media últimos

tempos Não acaso recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias

têm promovido

estudos discussões sobre futuro utilização plásticos Europa Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos

embalagens tentativas

limitação produção plásticos não

biodegradáveis respeito limitações produção
discussão política seio União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas

reciclagem plástico existente entendem deve promover igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto iniciativas França pode ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões descargas resíduos plásticos

Oceanos

Portugal priori papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha desses

resíduos
reciclagem para novas utilizações Políticas ativas
nessa
área poderão

contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor

utilização zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio

potencial está explorar utilização recursos

marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas microalgas são fonte potencial muito valorizada

amido processos refinação semelhantes utilizados
para refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar

podem transformar

matéria

prima para produção

plásticos grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar marca I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável água doce

para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas microalgas não

requer terra arável água

doce tecnologia

para produção
larga

escala está disponível desenvolvimento

têm tido papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão
Europeia

produção bioplásticos partir fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal ligando economia indústrias tradicionais

Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html Algae future
Todos Direitos Reservados Início
Sobre

nós Serviços Contactos Política Privacidade Condições

excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira algas microalgas micro algas biomassa biomassa algas sobre tendências Bioplásticos excesso

resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização

recursos

marinhos para

produção bioplásticos interessante
artigo
escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira edição revista Blue Innovation Review excesso
resíduos plásticos

Oceanos tornou grandes temas media

últimos tempos Não acaso recentes imagens onda resíduos

plásticos

Haiti abriram

noticiários

todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre futuro utilização plásticos

Europa Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos

embalagens tentativas limitação produção

plásticos não biodegradáveis respeito

limitações

produção discussão política seio

União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem deve

promover
igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto iniciativas França pode ainda mais
ativo

defesa políticas encarando

frente desafios também oportunidades evolução
ciência tecnologia colocam permitam
Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori
papel limitado produtor
limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante
iniciativas relacionadas
recolha desses

resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas

portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial

está explorar utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas microalgas são fonte potencial muito valorizada amido processos refinação

semelhantes utilizados para

refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar podem

transformar matéria prima para

produção plásticos grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção

embalagens
plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira
construiu mega fábrica
para produção embalagens bioplásticos
partir refinação cana açúcar marca I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável água doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário
produção
bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água doce tecnologia para produção larga escala está
disponível desenvolvimento têm

tido papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios investigação

suportados
fundos diretamente atribuídos pela Comissão
Europeia produção

bioplásticos partir fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal ligando economia indústrias tradicionais Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá

surgir
Portugal como

produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE

INNOVATION

html

Sobre nós Quem Somos fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem

Plataformas
Tecnológicas Experiência Produção
Serviços Serviços

consultoria Serviços técnicos Formação Projetos

Projetos

Projetos Notícias

Contactos ©2018

Algae future

Rights Reserved Powered BYDAS

Sobre Nós Quem Somos fazemos História Empresa Recursos Algoteca
Produção industrial

nossa abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção

Serviços Serviços
consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projectos Notícias Contactos sobre
tendências Bioplásticos excesso

resíduos plásticos

regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante

artigo

escrito Manuel Antunes Membro Conselho

Administração publicado
primeira edição revista Blue
Innovation Review excesso resíduos plásticos Oceanos tornou
grandes
temas media últimos
tempos Não acaso

recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido

estudos discussões sobre futuro utilização

plásticos Europa Tais discussões

têm concentrado
sobretudo regulação utilização plásticos embalagens tentativas limitação produção plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado

certa divisão entre aqueles

entendem esforços devem

concentrar

essencialmente políticas reciclagem

plástico existente
entendem
deve promover igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos
biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação

plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto iniciativas França pode ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades

evolução
ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir

papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel

limitado produtor

limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas

recolha desses resíduos reciclagem para novas utilizações

Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas portuárias interligação entre

indústrias indústrias tradicionais

verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas microalgas são fonte potencial muito valorizada amido processos refinação semelhantes utilizados

para

refinação outras biomassas vegetais como cana

açúcar podem transformar matéria prima para produção plásticos grande

qualidade biodegradáveis

origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas fonte

biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica para

produção embalagens bioplásticos
partir refinação cana açúcar marca I´m
Green™ esbarram necessidade

disponibilização enormes quantidades terra arável água doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água doce

tecnologia para produção larga escala
está disponível desenvolvimento têm tido papel
preponderante

empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão Europeia produção bioplásticos partir fontes

marinhas poderá oportunidade impacto

estratégico para
Portugal ligando economia indústrias

tradicionais Quem sabe dentro

poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal como

produto nova
economia azul…? Aceda artigo inglês

francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html Algae future

Todos
Direitos Reservados Início Sobre nós Serviços
Contactos Política Privacidade Condições
excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos
para produção
bioplásticos interessante artigo escrito
Manuel

Antunes Membro Conselho

Administração publicado primeira algas microalgas micro algas biomassa biomassa algas sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos
plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes
Membro

Conselho Administração publicado

primeira edição

revista Blue Innovation Review excesso resíduos plásticos Oceanos tornou grandes temas media últimos

tempos

Não acaso

recentes imagens

onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo

última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões

sobre futuro utilização plásticos Europa Tais discussões

têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos

embalagens tentativas limitação produção plásticos

não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio

União Europeia

evidenciado

certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem deve promover igualmente recurso fontes biológicas para produção

novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido

pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto iniciativas França
pode
ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito

emissões descargas resíduos

plásticos

Oceanos Portugal

priori papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel
liderante iniciativas relacionadas
recolha desses resíduos reciclagem para novas
utilizações Políticas ativas

nessa área poderão contribuir

para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas

portuárias interligação entre indústrias

indústrias tradicionais

verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais

origem vegetal algas microalgas são fonte potencial muito valorizada amido processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar podem

transformar matéria prima para produção plásticos grande qualidade

biodegradáveis origem biológica importantes
esforços sobretudo Brasil para produção

embalagens plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica

para produção embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar marca I´m Green™

esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável água doce
para
produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção

bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável

água doce

tecnologia para produção larga escala está disponível desenvolvimento têm tido papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão Europeia

produção bioplásticos partir
fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal
ligando

economia indústrias tradicionais Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir

Portugal como

produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION

html
Sobre nós Quem Somos

fazemos História Empresa

Recursos Algoteca Produção
industrial nossa abordagem Plataformas
Tecnológicas

Experiência Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projetos Notícias Contactos ©2018 Algae future Rights Reserved Powered BYDAS Sobre Nós Quem Somos fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência

Produção Serviços
Serviços consultoria
Serviços

técnicos Formação Projetos Projetos Projectos Notícias Contactos sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração

publicado primeira edição

revista Blue Innovation Review

excesso resíduos plásticos Oceanos tornou grandes temas media últimos tempos Não

acaso recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre futuro utilização plásticos

Europa
Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens

tentativas limitação produção

plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado

certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem deve promover

igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação

plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto iniciativas França pode ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha desses resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área

poderão contribuir para

valorização rendimentos pescadores

melhor
utilização zonas portuárias interligação entre indústrias
indústrias tradicionais

verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas microalgas são fonte

potencial
muito valorizada amido processos refinação semelhantes
utilizados

para refinação outras biomassas

vegetais como cana açúcar podem transformar matéria prima para produção

plásticos grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos partir refinação cana
açúcar marca
I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes

quantidades terra arável água doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção

bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água
doce

tecnologia para produção

larga escala está disponível desenvolvimento têm tido papel preponderante empresas

portuguesas base

tecnológica inseridas consórcios investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão

Europeia produção

bioplásticos partir fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal ligando economia indústrias tradicionais

Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova economia
azul…? Aceda artigo

inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html Algae future Todos Direitos Reservados Início Sobre nós Serviços Contactos Política Privacidade Condições

excesso resíduos

plásticos regulações políticas iniciativas europeias

possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira algas microalgas micro algas biomassa biomassa algas sobre tendências Bioplásticos

excesso

resíduos plásticos

regulações políticas iniciativas europeias
possibilidade utilização recursos
marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes

Membro Conselho Administração publicado primeira edição revista Blue Innovation Review excesso resíduos plásticos Oceanos tornou grandes temas media últimos tempos

Não acaso recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre futuro utilização plásticos
Europa

Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens

tentativas limitação produção plásticos

não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços

devem concentrar essencialmente políticas

reciclagem plástico existente entendem deve promover

igualmente recurso

fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal
sido pioneiro

políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto iniciativas França pode ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel

limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha desses resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor

utilização zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial está

explorar
utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas microalgas são fonte potencial muito valorizada amido

processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar podem transformar matéria prima para produção plásticos grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos partir refinação cana

açúcar marca I´m Green™

esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra

arável água doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água doce

tecnologia

para produção larga escala está disponível

desenvolvimento têm tido papel

preponderante empresas

portuguesas
base tecnológica inseridas consórcios investigação
suportados fundos
diretamente atribuídos pela Comissão
Europeia

produção bioplásticos partir fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para

Portugal ligando economia indústrias tradicionais Quem sabe dentro
poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html

Sobre nós Quem Somos

fazemos História Empresa

Recursos
Algoteca Produção industrial
nossa

abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projetos Notícias Contactos ©2018 Algae future Rights Reserved

Powered BYDAS Sobre
Nós Quem Somos fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem
Plataformas Tecnológicas Experiência

Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projectos Notícias Contactos sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito

Manuel Antunes

Membro Conselho Administração publicado primeira edição revista

Blue

Innovation Review excesso resíduos plásticos Oceanos

tornou grandes temas media últimos tempos Não acaso

recentes imagens onda resíduos plásticos

Haiti abriram noticiários todo Mundo

última

década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre futuro

utilização
plásticos Europa

Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens tentativas limitação produção plásticos

não

biodegradáveis respeito limitações produção discussão política

seio União Europeia evidenciado certa

divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem deve promover igualmente recurso

fontes
biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto iniciativas

França pode ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor limitado

pequeno

utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha

desses

resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização

rendimentos pescadores

melhor utilização zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos

para produção bioplásticos: novos materiais origem

vegetal

algas microalgas são fonte potencial muito

valorizada amido
processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar
podem transformar matéria prima para produção
plásticos
grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para
produção embalagens plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica
para produção
embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar
marca I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável

água doce para produção

matéria prima

básica
cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas microalgas

não requer terra arável

água doce tecnologia para produção larga escala está disponível desenvolvimento têm tido papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão Europeia produção bioplásticos partir fontes

marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal ligando economia indústrias

tradicionais
Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho

poderá surgir Portugal como

produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas

https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION

html Algae

future Todos Direitos Reservados Início Sobre nós

Serviços Contactos Política
Privacidade Condições excesso
resíduos
plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos
para

produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira algas microalgas micro algas biomassa biomassa algas sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos

regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção

bioplásticos

interessante artigo escrito

Manuel
Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira edição revista Blue Innovation Review excesso resíduos plásticos Oceanos tornou grandes temas
media
últimos tempos Não acaso recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões
sobre futuro

utilização plásticos Europa

Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens tentativas limitação produção plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem
plástico

existente entendem deve promover

igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos

não

biológicos não

biodegradáveis seguindo perto iniciativas França pode ainda mais ativo defesa

políticas
encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia

colocam permitam Portugal assumir papel

liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões

descargas
resíduos plásticos Oceanos

Portugal priori papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha

desses resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial

está explorar

utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas microalgas são

fonte
potencial muito
valorizada amido processos refinação

semelhantes utilizados para refinação

outras biomassas vegetais como

cana açúcar

podem

transformar matéria

prima para

produção plásticos

grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas

fonte biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar marca

I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades

terra arável água doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água doce

tecnologia para produção larga escala está disponível desenvolvimento

têm tido

papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica

inseridas consórcios
investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão Europeia produção bioplásticos partir

fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal ligando economia indústrias

tradicionais Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto

nova

economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html

Sobre nós Quem Somos

fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços consultoria Serviços

técnicos Formação
Projetos Projetos
Projetos Notícias Contactos

©2018 Algae future Rights Reserved Powered BYDAS Sobre Nós Quem Somos fazemos História Empresa

Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos

Projectos Notícias Contactos sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro
Conselho Administração publicado primeira edição revista

Blue Innovation Review

excesso resíduos plásticos

Oceanos tornou
grandes temas media

últimos tempos Não acaso recentes imagens

onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre futuro utilização plásticos Europa Tais discussões têm concentrado

sobretudo
regulação utilização plásticos embalagens tentativas limitação produção
plásticos não biodegradáveis
respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem deve promover igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto iniciativas França pode
ainda mais
ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia colocam
permitam

Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito

emissões descargas
resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor

limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas

relacionadas recolha desses

resíduos reciclagem para
novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas

microalgas são fonte potencial muito

valorizada amido processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar podem transformar matéria prima para produção plásticos grande

qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas fonte biológica maior empresa química brasileira construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar marca I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável água doce para

produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário

produção bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água doce tecnologia para produção larga escala

está disponível desenvolvimento

têm tido papel

preponderante empresas

portuguesas base tecnológica inseridas consórcios investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela

Comissão

Europeia produção bioplásticos partir fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal ligando economia indústrias tradicionais

Quem

sabe dentro poucos anos nova marca

embalagens
bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html Algae future Todos Direitos Reservados Início Sobre nós Serviços
Contactos Política Privacidade Condições excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização
recursos marinhos para produção

bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira algas microalgas micro algas biomassa biomassa algas sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para

produção bioplásticos interessante artigo escrito

Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira edição

revista Blue Innovation Review excesso resíduos plásticos Oceanos tornou grandes temas media últimos tempos Não acaso recentes

imagens onda resíduos

plásticos Haiti

abriram

noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre futuro utilização plásticos Europa Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens

tentativas

limitação produção plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem deve promover igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo

perto iniciativas França pode ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades

evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste

sector disposição

respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor limitado
pequeno

utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha desses resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para produção bioplásticos:

novos materiais

origem vegetal algas microalgas são fonte potencial muito valorizada amido processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas vegetais

como
cana açúcar podem transformar matéria prima para produção plásticos grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas fonte biológica maior
empresa química
brasileira construiu mega

fábrica para produção

embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar marca I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades

terra arável água doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas microalgas não

requer terra arável água doce tecnologia para produção larga escala está disponível desenvolvimento têm tido papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão
Europeia produção bioplásticos partir

fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal ligando economia indústrias tradicionais

Quem sabe dentro poucos anos nova marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html
Sobre nós Quem Somos fazemos História
Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção
Serviços
Serviços consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projetos

Notícias Contactos ©2018 Algae future Rights Reserved

Powered BYDAS Sobre Nós Quem Somos fazemos História Empresa Recursos Algoteca

Produção industrial nossa abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência

Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projectos Notícias Contactos
sobre

tendências Bioplásticos excesso

resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel

Antunes Membro Conselho Administração publicado

primeira edição

revista Blue Innovation Review

excesso resíduos plásticos Oceanos tornou grandes temas media últimos tempos Não acaso recentes imagens onda

resíduos
plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última

década Instituições Europeias têm

promovido estudos discussões sobre futuro utilização plásticos

Europa Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens tentativas
limitação produção
plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção discussão
política seio
União Europeia evidenciado certa
divisão entre
aqueles entendem esforços

devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico

existente

entendem deve promover igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas

taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto iniciativas
França pode

ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também

oportunidades evolução ciência

tecnologia colocam

permitam
Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos
Portugal priori
papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve
papel liderante iniciativas relacionadas recolha desses

resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas portuárias

interligação

entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para produção bioplásticos:

novos materiais origem vegetal

algas microalgas são fonte

potencial
muito valorizada amido processos refinação semelhantes utilizados

para refinação outras biomassas vegetais como cana açúcar podem transformar matéria prima para produção

plásticos

grande qualidade biodegradáveis origem

biológica importantes

esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas

fonte biológica

maior empresa química brasileira

construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos
partir
refinação cana
açúcar marca I´m Green™ esbarram
necessidade disponibilização enormes quantidades

terra arável água doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água doce tecnologia para

produção larga escala está disponível desenvolvimento têm tido papel preponderante

empresas
portuguesas base tecnológica
inseridas

consórcios investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão

Europeia

produção bioplásticos

partir
fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico para Portugal
ligando economia indústrias

tradicionais Quem sabe dentro poucos anos nova marca

embalagens
bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova economia azul…? Aceda artigo

inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL

CMD/BLUE

INNOVATION html Algae future Todos Direitos Reservados

Início Sobre nós Serviços Contactos Política Privacidade Condições excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos

marinhos para
produção

bioplásticos interessante artigo

escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira algas
microalgas

micro algas biomassa biomassa algas

sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos

para produção bioplásticos interessante artigo escrito

Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado
primeira edição
revista Blue Innovation Review

excesso resíduos plásticos

Oceanos tornou grandes temas media últimos tempos Não acaso recentes imagens onda resíduos plásticos
Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre futuro utilização plásticos Europa Tais
discussões têm

concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens tentativas limitação produção plásticos

não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem deve
promover igualmente recurso
fontes biológicas para produção
novos plásticos produção plásticos

biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo perto

iniciativas França pode ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução

ciência tecnologia colocam permitam Portugal assumir

papel liderança utilização

produtiva recursos neste

sector disposição respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel

liderante iniciativas relacionadas recolha desses resíduos reciclagem para novas utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas portuárias interligação

entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas

microalgas são
fonte potencial muito valorizada amido processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas vegetais

como cana açúcar podem transformar matéria prima para produção plásticos grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas fonte

biológica maior empresa
química brasileira
construiu mega

fábrica para produção embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar marca I´m Green™

esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável água doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água doce tecnologia para produção larga

escala
está disponível desenvolvimento têm tido

papel preponderante empresas

portuguesas

base tecnológica inseridas consórcios investigação suportados fundos diretamente

atribuídos pela

Comissão Europeia produção

bioplásticos partir

fontes marinhas poderá oportunidade

impacto estratégico para Portugal ligando

economia indústrias tradicionais Quem

sabe dentro poucos anos nova

marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir

Portugal

como produto nova economia

azul…? Aceda artigo inglês francês

páginas

https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html

Sobre nós Quem Somos fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem
Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços consultoria Serviços técnicos Formação Projetos

Projetos Projetos Notícias Contactos ©2018 Algae future Rights Reserved Powered BYDAS Sobre Nós Quem Somos

fazemos História Empresa Recursos Algoteca Produção industrial nossa abordagem Plataformas Tecnológicas Experiência Produção Serviços Serviços consultoria
Serviços técnicos Formação Projetos Projetos Projectos Notícias Contactos sobre tendências Bioplásticos excesso
resíduos

plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização

recursos marinhos para

produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira edição revista Blue Innovation Review excesso resíduos plásticos Oceanos tornou

grandes temas media últimos tempos Não acaso

recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos

discussões

sobre futuro utilização plásticos Europa Tais

discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização plásticos embalagens tentativas limitação

produção plásticos não biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado certa divisão entre aqueles entendem esforços devem concentrar essencialmente políticas reciclagem plástico existente entendem deve promover igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis seguindo

perto iniciativas França pode ainda mais ativo defesa políticas encarando frente desafios também oportunidades evolução ciência tecnologia colocam permitam Portugal

assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões descargas

resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor limitado pequeno utilizador plásticos pode deve papel liderante iniciativas relacionadas recolha desses resíduos reciclagem para
novas utilizações Políticas ativas nessa
área poderão contribuir

para valorização

rendimentos pescadores melhor utilização zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar
utilização
recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem vegetal algas microalgas são

fonte potencial muito valorizada

amido processos refinação semelhantes utilizados para refinação outras biomassas

vegetais como cana açúcar podem transformar matéria prima para

produção plásticos
grande
qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para produção embalagens plásticas fonte biológica
maior
empresa química brasileira
construiu mega fábrica para
produção embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar marca I´m Green™ esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável água doce para produção matéria prima básica cana açúcar Pelo contrário produção bioplásticos partir algas microalgas não requer terra arável água doce tecnologia para produção larga escala está disponível desenvolvimento têm tido papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão Europeia produção bioplásticos partir fontes marinhas poderá oportunidade impacto estratégico
para Portugal ligando

economia indústrias tradicionais Quem sabe dentro poucos anos nova

marca embalagens bioplástico marinho poderá surgir Portugal

como produto nova economia azul…? Aceda

artigo inglês
francês páginas https://www wobook

com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION

html Algae future

Todos Direitos Reservados Início Sobre nós Serviços Contactos Política

Privacidade Condições excesso resíduos plásticos regulações políticas iniciativas

europeias possibilidade utilização recursos marinhos

para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho Administração publicado primeira algas

microalgas micro algas biomassa biomassa algas sobre tendências Bioplásticos excesso resíduos

plásticos regulações políticas iniciativas europeias possibilidade utilização recursos marinhos para produção bioplásticos interessante artigo escrito Manuel Antunes Membro Conselho

Administração

publicado primeira edição revista Blue Innovation Review excesso resíduos plásticos Oceanos

tornou grandes temas media

últimos tempos Não

acaso recentes imagens onda resíduos plásticos Haiti abriram noticiários todo Mundo última década Instituições Europeias têm promovido estudos discussões sobre

futuro
utilização plásticos Europa Tais discussões têm concentrado sobretudo regulação utilização
plásticos embalagens tentativas limitação produção plásticos
não
biodegradáveis respeito limitações produção discussão política seio União Europeia evidenciado certa

divisão entre aqueles

entendem esforços

devem concentrar essencialmente políticas

reciclagem plástico existente entendem deve promover igualmente recurso fontes biológicas para produção novos plásticos produção plásticos biodegradáveis Portugal sido pioneiro políticas taxação plásticos não biológicos não biodegradáveis

seguindo perto iniciativas

França pode ainda mais ativo defesa políticas encarando frente

desafios

também oportunidades evolução ciência

tecnologia colocam permitam Portugal assumir papel liderança utilização produtiva recursos neste sector disposição respeito emissões descargas resíduos plásticos Oceanos Portugal priori papel limitado produtor limitado

pequeno utilizador plásticos

pode deve papel

liderante iniciativas relacionadas recolha desses resíduos reciclagem para
novas

utilizações Políticas ativas nessa área poderão contribuir para valorização rendimentos pescadores melhor utilização zonas portuárias interligação entre indústrias indústrias tradicionais verdadeiro desígnio potencial está explorar utilização recursos marinhos para produção bioplásticos: novos materiais origem

vegetal algas microalgas são

fonte potencial muito valorizada amido processos

refinação
semelhantes utilizados para
refinação

outras biomassas vegetais como cana açúcar podem transformar matéria prima para produção plásticos

grande qualidade biodegradáveis origem biológica importantes esforços sobretudo Brasil para

produção embalagens plásticas fonte biológica

maior empresa química brasileira construiu mega fábrica para produção embalagens bioplásticos partir refinação cana açúcar marca I´m Green™

esbarram necessidade disponibilização enormes quantidades terra arável água doce para produção matéria
prima

básica cana açúcar Pelo contrário produção

bioplásticos

partir algas microalgas não requer

terra arável água
doce tecnologia para produção larga escala
está disponível

desenvolvimento têm tido papel preponderante empresas portuguesas base tecnológica inseridas consórcios

investigação suportados fundos diretamente atribuídos pela Comissão Europeia produção bioplásticos partir fontes marinhas poderá oportunidade impacto
estratégico

para Portugal ligando economia indústrias tradicionais Quem sabe dentro

poucos anos
nova marca embalagens

bioplástico marinho poderá surgir Portugal como produto nova economia azul…? Aceda artigo inglês francês páginas https://www wobook com/WBLa2mq69998/DIGITAL CMD/BLUE INNOVATION html